EFANOR – Empresa Fabril do Norte

2

Historial

Em tempos passados, a rede nacional de caminho de ferro escolheu Senhora da Hora, Matosinhos, para instalar um dos nós essenciais das ligações ferroviárias entre o Porto e o Norte do País, contribuindo deste modo para a fixação de diversas empresas.

Foi em torno desta centralidade que, num país ainda regido pela monarquia, foi inaugurada em 1905, a Efanor-Empresa Fabril do Norte, pelo empresário Delfim Pereira da Costa, tendo sido a primeira fábrica em Portugal a produzir carrinhos de linha, razão pela qual lhe chamavam ” a fábrica dos carrinhos”. Mais tarde, esta Empresa foi adquirida por Manuel Pinto de Azevedo, grande industrial e empresário que nela introduziu toda uma série de inovações sociais.

Apesar dos baixos salários praticados, uma regra disciplinar muito apertada e um modelo de produção assente na mão-de-obra intensiva, coisa muito normal nos tempos de governação de Salazar, esta grande estrutura foi uma das mais importantes unidades industriais do Grande Porto, inclusivé de todo o Norte de Portugal que, nos tempos da maior produção, chegou a empregar cerca de 3000 trabalhadores, tendo sido considerada a maior empregadora do Norte de Portugal.

A nível social esta empresa prestava assistência médica e medicamentosa aos seus trabalhadores, mesmo antes do Estado assumir esse compromisso. Possuía igualmente uma creche e jardim infância para cerca de 140 crianças, refeitórios e uma enorme cantina.

É de realçar que a grandeza esta unidade fabril permitiu criar uma corporação privativa de bombeiros e de iniciar em 5/10/1944, a construção de pequenas habitações económicas para os seus trabalhadores. Para fomentar a sua manutenção a Empresa criou concursos anuais para “a casa mais florida”. Este Bairro Operário situava-se na avenida principal em frente das instalações fabris (Av. Fabril do Norte), mas infelizmente foi demolido em 1995/1996.

A empresa registou apenas a sua primeira greve em 1958, não por razões laborais, mas em solidariedade contra a prisão pela PIDE do médico da empresa, Manuel Teixeira Ruela, conhecido como «médico dos pobres».

Apesar desta unidade ter encerrado a sua actividade em 1994, continua a ser um símbolo da freguesia da Senhora da Hora, dado ter revolucionado completamente a sua paisagem e a forma de vida dos seus habitantes.

Foi totalmente demolida em 2007 e nos seus terrenos foi construída uma grande urbanização de condomínios habitacionais bem como um Colégio/Jardim de infância. Apenas ficou de pé um pequeno edifício e respectiva chaminé industrial, destinando à construção de um pólo museológico para preservação da memória industrial desta grande unidade, será uma extensão da Fundação Serralves.

No entanto, a memória viva desta grande unidade continua bem presente para quem visita o Centro Comercial Norte Shopping, onde os visitantes podem apreciar algumas das máquinas que fizeram parte da Empresa Fabril do Norte.

Até à pouco tempo estiveram também expostos um carro dos bombeiros e uma ambulância exclusivos desta unidade fabril, mas foram retirados do Centro Comercial, possivelmente para fazerem parte da colecção da Fundação Belmiro de Azevedo que, curiosamente teve o seu primeiro emprego na Efanor.

(Fonte pesquisa: Internet e blogue Porto Antigo)

Partilhar.

Acerca do Autor

Dar a conhecer o que está esquecido, abandonado e muitas das vezes em ruínas, de estruturas que muito contribuíram para o desenvolvimento do nosso país, foi sempre um dos meus desejos. Aliando esse facto ao gosto que tenho pela fotografia, encontrei nos Caça Devolutos um pequeno espaço que me permite mostrar e historiar um pouco algumas dessas ruínas, muitas delas bem às portas das nossas casas.

2 Comentários

  1. A máquina que se encontra no Centro Comercial Norte Shopping, pertence à fábrica de Paleão, concelho de Soure.

  2. Lapa Gonçalves on

    Sim é verdade Nádia ! Aliás uma das fotos que coloquei tem precisamente essa informação. Obrigado

Deixa Uma Resposta