Empresa de Pecuária – Coimbra

4

Olá a todos!

Hoje venho dar-vos a conheçer um devoluto que já à muito andava na minha mira…
Este devoluto encontra-se mesmo em frente ao Centro Hospitalar de Coimbra e segundo que conseguimos apurar pelas instalações pareceu-nos um sítio dedicado à Pecuária.

[tb_google_map]

Não conseguimos saber o nome da empresa, mas estamos a tratar de tentar recolher mais informações sobre este devoluto.

Se algúem souber algo sobre ele que nos informe aqui, nos comentários ou então para caca.devolutos@gmail.com

E agora aqui ficam alguns registos fotográficos

Partilhar.

Acerca do Autor

Será sempre o abandono desprezível, feio e inútil? A minha resposta é despida de "floreados"como o próprio abandono, NÃO! Uma sociedade completamente obcecada com o progresso e desenvolvimento, faz com que os lugares por nós visitados não estejam somente ao abandono, mas também esquecidos. Partilho com os meus amigos o prazer pela fotografia e pela descoberta de novos pontos de interesse que por uma razão ou outra foram lentamente deixados à mercê do tempo. Esse que nunca pára! O objectivo? Fazer com que espaços com história não caiam no esquecimento para sempre e que de alguma forma dê a conhecer um pouco das suas histórias enquanto activos.

4 Comentários

  1. Embora a minha favorita seja a última fotografia, adorei a luz das anteriores.
    (E essas árvores são fantásticas!)

  2. Trata-se da exploração agrícola e pecuária que servia o hoje Hospital dos Covões – Centro Hospitalar de Coimbra – na origem pertencente à Colónia Portuguesa do Brasil
    “O Hospital Geral da Colónia Portuguesa do Brasil, inaugurado a 27 de Abril de 1973, situa-se em Coimbra, na freguesia de S. Martinho do Bispo. O conjunto de edifícios que, ainda hoje, constituem este hospital foram construídos durante as primeiras décadas do séc. XX, entre 1918 e 1930, com a intenção de criar uma escola-asilo destinada a recolher e educar os órfãos dos soldados mortos na 1ª Grande Guerra. Como nunca chegaram a ser utilizados para este fim, foram reconvertidos num sanatório antituberculoso para indivíduos do sexo masculino, dando corpo às preocupações assistenciais da época. A 5 de Fevereiro de 1931, é publicado o Decreto n.º 19310 no qual a Assistência da Colónia Portuguesa do Brasil faz doação do seu património ao governo português, convertendo-o num hospital-sanatório, com capacidade para 400 doentes, e que representava o que de mais moderno e revolucionário se fizera até então, pela sua concepção, beleza e conforto, servindo de modelo a outras instituições que foram surgindo no país. Anos mais tarde, novas circunstâncias ditaram o fim do hospital-sanatório com a redução significativa do número de tuberculosos, sendo, então, criado o Hospital Geral como hospital central, pelo Decreto-Lei n.º 308/70, de 2 de Julho.”
    Brinquei lá muito em criança.
    Existia em frente à pecuária uma amoreira de onde eu tirava folhas para dar aos meus bichos da seda.

Deixa Uma Resposta