Estaleiro do Ouro

1

Há muito que conhecia o Estaleiro do Ouro mas nunca tinha prestado muita atenção para a sua existência,  nomeadamente em relação à sua importância na vida das gentes de Lordelo.  As instalações  foram construídas no leito do Rio Douro, mais precisamente na Praia do Ouro, situada na freguesia de Lordelo do Ouro, nas proximidades da foz do rio Douro,  defronte à vila piscatória da Afurada.

Trata-se de uma estrutura secular que funcionou até 2005 e destinava-se principalmente à construção de embarcações de madeira. Nos últimos anos da sua actividade eram as traineiras e outros barcos de pequeno porte destinados á pesca,  que mantinham esta estrutura em funcionamento.

Razões históricas

No século XII Lordelo era uma terra fervilhante de vida que devido à sua proximidade com rio e mar acolhia muitos navios e marinheiros. Deste modo, o comércio internacional marítimo começou a desenvolver-se trazendo uma grande actividade económica ao Lugar de Lordelo do Ouro. Esta expansão do comércio marítimo trouxe uma grande importância ao estaleiro do Ouro, que passou a dispor de condições para a construção de navios uma vez a sua construção ter sido realizada sobre uma praia extensa e junto a uma das profundidades do Rio Douro.

Ao longo dos tempos, neste estaleiro são construídas caravelas e naus e face a este desenvolvimento a população de Lordelo do Ouro aumenta com a fixação de homens ligados ao mar, tais como pilotos, mestres, contramestres, capitães, calafates e carpinteitos.

Segundo documentação, na época dos Descobrimentos e Conquistas Portuguesas bem durante o Cerco de Lisboa, foram construídas neste estaleiro 17 naus e 17 galés. Com o passar dos anos os navios cada vez eram de maior porte, e a construção dos galeões passou a estar em risco por causa da profundidade da água, o que originou uma emigração de uma boa parte dos seus trabalhadores para outros estaleiros existentes no país.

As instalações deste estaleiro foram encerradas, como já acima se disse, em 2005.

A APDL (Associação dos Portos do Douro e Leixões) efectuou concursos para a sua reabilitação. Inicialmente pensou-se atribuir licenciamento para a exploração da construção e restauro de embarcações de madeira mas nada ficou definido por falta de interessados.

Neste momento as instalações estão muito degradadas e praticamente ao abandono. A sua recuperação ou reabilitação estará ainda demorada tendo em conta a situação económica do país. Vamos esperar………..

Nota: As fotos antigas foram obtidas nos sites memoria.ttverde.pt  e  wwww.cienciahoje.pt . A pesquisa histórica teve como base a informação disponível na internet.

AS FOTOS:

Foto antiga 2                    Foto antiga 3

1-Vista geral do estaleiro do ouro(BW)

2-Estaleiro vista geral (Pte Arrábida) 3-Estaleiro Rampa lançamento dos navios

4-Vestígios   5-Estaleiros - Vista para a estrada

6-Estaleiros - Enrolador de cabos  7-Estaleiros - Máquina 1

8-Estaleiros -Máquina 4 pormenor   10-Estaleiros -Máquina 3 pormenor

9-Estaleiros -Máquina 2     11-Calafetar o barco(BW)

13-Ancora (BW)      14-Ancora parte superior de amarra

15-Estaleiros - Guindaste pormenor      16-Estalerios - Argola para puxar suporte de navios

19-Vestígios antiga Fonte da Praia do Ouro    17-Estalerios - Máquina 3

12-Estaleiros - Suporte para amarrar os navios      18-Estaleiros - Guindaste

20-Estaleiro-Vista para foz do Rio Douro

 

 

 

Partilhar.

Acerca do Autor

Dar a conhecer o que está esquecido, abandonado e muitas das vezes em ruínas, de estruturas que muito contribuíram para o desenvolvimento do nosso país, foi sempre um dos meus desejos. Aliando esse facto ao gosto que tenho pela fotografia, encontrei nos Caça Devolutos um pequeno espaço que me permite mostrar e historiar um pouco algumas dessas ruínas, muitas delas bem às portas das nossas casas.

1 Comentário

Deixa Uma Resposta