Mina de São Domingos

2

Descrição

Durante as minhas últimas férias,  resolvi conhecer uma vez mais um pouco da região do Alentejo, mais precisamente a área envolvente entre Beja e Mértola. Durante o período de férias, era também um dos meus objectivos, visitar as ruínas da Mina de S. Domingos, monumento industrial mineiro-ferroviário,  considerado até um ex-libris do concelho de Mértola,  aproveitando igualmente para visitar a sua aldeia e respectiva praia fluvial.

Tipologia

Monumento mineiro – ferroviário

Localização

Freguesias de Corte do Pinto e Santana de Cambas no concelho de Mértola.

Data da Visita

23-06-2014

Utilização Inicial

Exploração mineira

Notas Históricas

Em 1858, a empresa inglesa Mason & Barry, iniciou a exploração da Mina de S. Domingos, e ao longo desses anos foram retirados das profundezas da terra cerca de 25 Mt de minério, principalmente pirite cuprífera com teores médios de 1,25% de cobre, 2/3º de zinco e chumbo e cerca de 15/48º de enxofre. Esta mina foi mesmo a maior exploração mineira portuguesa até à década de 1930,  chegando a empregar diariamente cerca de 1300 trabalhadores.

Para escoar todo o minério recolhido, foi construída uma das primeiras linhas férreas do país, de via reduzida, com cerca de 15 km. de extensão,  ligando a Mina ao Porto de Pomorão na margem do Rio Guadiana.Inicialmente, o transporte do minério era feito através de um processo denominado de tramway (vagões puxados por muares). Somente a partir de 1867 é que foram utilizadas as locomotivas a vapor.  No circuito ascendente era muito frequente ver as locomotivas a transportarem para a mina o pessoal e diverso equipamento necessário ao seu funcionamento.  A coluna vertebral desta mina era, sem dúvida,  o seu complexo sistema ferroviário iniciado em 1859 e inaugurado em 1862. Era então a principal vantagem tecnológica que a mina possuía em relação a outras congéneres espanholas.

A partir do porto de Pomarão, o minério era enviado para a Inglaterra de uma forma rápida e com custos mais reduzidos. Um dos acordo celebrados á época, foi o facto da empresa dona da mina ser obrigada a fazer desassoreamento do rio até à foz do mesmo para permitir a boa navegabilidade dos vapores.

É de realçar também que nas suas instalações foi construída a primeira central eléctrica do Alentejo, a qual permitiu que a Aldeia de S. Domingos passasse a ter uma rede eléctrica, algo bem avançado para aquela época.

A partir de 1875, existência de problemas laborais ligados aos salários e condições de trabalho, motivou que a mina  passou a passasse a ter  uma policia privada evitando, assim, que as entidades portuguesas fossem sempre chamadas para controlar os protestos (que vale a pena ler).

Neste endereço encontra-se um pouco da história laboral e das suas lutas para alcançar melhores condições de vida.

 http://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2013/01/25/mina-de-sao-domingos-miseria-e-luta-de-geracoes/

Os trabalhos de exploração da mina prolongaram-se até 1965, ano de esgotamento do minério, situação que motivou o encerramento da mina após 108 de exploração regular.

 

Aldeia de S. Domingos

Durante o período da exploração da mina , a sua actividade mineira tornou-se o grande catalisador de desenvolvimento local, dando então lugar ao aparecimento da Aldeia de São Domingos. A sua construção obedeceu a critérios de urbanização muito rigorosos implementados pela empresa Mason & Barry, sendo as suas áreas habitacionais separadas de acordo com a hierarquia sócio-profissional. Resta acrescentar, que esta aldeia foi o primeiro lugar habitacional existente em Portugal a possuir rede eléctrica, a qual dependia da central eléctrica construída para serventia da mina.

Actualmente, esta aldeia é muito procurada durante o verão, sobretudo devido à existência de uma praia fluvial de nome Tapada Grande, a qual possui boas condições para o veraneio. Esta praia de água doce foi construída na maior das duas albufeiras existentes naquela local. Durante o século XIX, a sua água era canalizada para a mina servindo para o processamento de minerais de baixo teor.

Fim

 

Pesquisa:

A pesquisa para elaboração deste documento foi feita essencialmente através da internet bem como foi utilizada alguma informação existente nas placas informativas de acesso à mina. 

As fotos antigas (frames) foram retiradas de um filme sobre a Mina de S. Domingos. 

http://pascal.iseg.utl.pt

http://pt.wikipedia.org

http://www.arcgis.com

 E agora as fotos…

 

Partilhar.

Acerca do Autor

Dar a conhecer o que está esquecido, abandonado e muitas das vezes em ruínas, de estruturas que muito contribuíram para o desenvolvimento do nosso país, foi sempre um dos meus desejos. Aliando esse facto ao gosto que tenho pela fotografia, encontrei nos Caça Devolutos um pequeno espaço que me permite mostrar e historiar um pouco algumas dessas ruínas, muitas delas bem às portas das nossas casas.

2 Comentários

Deixa Uma Resposta